0

Ciclistas mineiros criam acessório que aumenta segurança de quem pedala 

Pedalar pelos centros urbanos brasileiros é um desafio dada falta de infraestrutura viária para ciclistas e descaso das autoridades em relação aos mais frágeis no trânsito. Faltam ciclovias e políticas públicas para quem usa a magrela se deslocar de forma segura. Além disso motoristas insistem em desrespeitar e ameaçar ciclistas.

Pensando nisso a Rocket BP, startup mineira, criou um dispositivo simples e extremamente útil a quem usa a bicicleta entre carros, motos, ônibus e caminhões e costuma sinalizar as direções que toma: uma mochila com seta.

A tecnologia pode parecer simples mas para quem utiliza os braços para sinalizar a direção que pretende tomar é muito útil. O criadores da mochila rocket explicam que se inspiraram em produtos do exterior. “A idéia de comercializar a mochila surgiu quando um sócio da empresa ao morar na Alemanha e percebeu como a bicicleta é integrada às cidades alemãs como transporte sustentável”, declarou Thales Batista sócio da Rocket Bike.

A alemanha é um dos países europeus que mais investe na mobilidade ativa, além da infraestrutura e legislação para favorecer quem usa a bicicleta, também regulamenta o uso de equipamentos. Embora o Brasil esteja a anos luz da Alemanha na política de mobilidade a bicicleta é o veículo de muitos brasileiros. De fato mesmo em Belo Horizonte os maiores problemas para quem pedala não é, principalmente, o relevo e sim os motoristas. “Pensamos que uma sinalização clara, objetiva e visível aos motoristas tira a “desculpa” de não ter visto o ciclista. Portanto uma mochila que sinaliza a intenção no trânsito além de servir para hidratação e bagagem foi a solução proposta”, completa Thales Batista.

Usando a mochila no trânsito. Foto W. Odilon

Como bom ciclista urbano que precisa usar a magrela várias vezes por semana, eu pego avenidas com grande fluxo de carros como Afonso Pena e Contorno e logo na primeira semana de uso observei que os números de finas que tomava diminuíram bastante. Alguns motoristas até elogiaram o uso da seta. Uma das situações corriqueiras que me acontecia era o motorista acelerar, tirar fina para entrar logo adiante à direita. Sempre fiquei tenso com a sinalização pois há muitos buracos nas pistas e em pneus finos ou menores pode ser um grande problema tirar as mãos do guidão para sinalização com os braços.

Fabricadas com tecido Dacron (o mesmo utilizado em velas de barcos) as mochilas da Rocket variam de tamanho e preço e estão disponíveis a partir de R$ 299,00. O controle wireless para as setas facilitam o seu uso. A fonte da bateria que alimenta os LEDs são recarregáveis o processo de produção envolve o Brasil, Coreia e China, têm garantia de fabricação 06 meses para a mochila e de 01 ano para o LED.

A mochila e pode ser comprada no site https://rocketbp.com.br/

Advertisements
0

Capacetes pra quem?

20131024-172504.jpg

Por Gil Sotero*

Versão do texto escrito por Michael Bluejay*

Primero quero reproduzi os dizeres do Bluejay, que é o mesmo que copartilho: “Eu não sou contra capacetes , eu sou contra toda a atenção colocada em capacetes à custa de aprender para não ser atropelado por carros”.

Há três razões que mostram que os capacetes não são indispensaveis:

1. Capacete vs Habilidade. Usar capacetes distrai as pessoas de que é mais provável que realmente vai salvar suas vidas : habilidades para uma condução segura. Ao inves de pedalar e aprender a conduzir a bicicleta com mais habilidade, muitos se setem seguros apenas por usar o capacete. Os capacetes não são o aspecto mais importante da segurança do ciclista.

2. Pesquisas mostram que os capacetes não são capazes de salvar de fato um ciclista e pior! os motoristas passam mais perto de quem usa capacete do que os que não usam. Provavelmente por acharem o ciclista sem capacete mais vulneravel, enquanto o com capacete pode aguentar um arranhão!

3. O capacete reforça a mensagem de que pedalar é perigoso. A importância colocada em capacetes tem efeitos sociais negativos .Ele pinta o ciclismo como uma atividade terrivelmente perigosa. Os ciclistas que optam por não usar capacete ficar demonizados como “estúpidos” , apesar de a pesquisas mostrarem que eles estão no mesmo risco global de ciclistas com capacete.

Os “benefícios” do uso do capacete são apagados quando os usuários se submeten a riscos elevados. Na década de 1990, quando o uso do capacete cresceu nos EUA, também subiram lesões na cabeça entre os ciclistas, cerca de 51% de aumento (NY Times).

Recentemente a CycleHelmets.org, criticou um estudo divulgado que apontava o seguinte dado: ” capacete pode prevenir até 85 % das lesões na cabeça ” . No estudo nem um único ciclista com capacete teve uma colisão com um veículo a motor ! O FAQ da Ong recebeu inúmeras mensagens de apoio. Entretanto esse estudo é citado por inúmeras pessoas que nada entendem de capacetes em bicicletas. Muitas politicas de promoção do uso do capacete se baseiam em dados como esse. A CycleHelmets deu outra informação boa , como o gráfico à baixo mostra, que os países com os ciclistas que usam mais capacetes também têm a maior taxa de lesões na cabeça.

20131024-172618.jpg

E , naturalmente, o inverso é verdadeiro : lesões na cabeça de ciclisas são mais baixas em países onde os ciclistas não usam muito o capacetes.O artigo enumera varias citações de como o capacete pode realmente atrapalhar o ciclista e não contribui de fato para diminuir acidentes.

A conclusão não poderia ser melhor:”É engraçado como as percepções mudaram drasticamente nos últimos tempos. Tão recentemente, nos anos 80 quase ninguém usava capacete, e ninguém pensou em nada disso. Mas hoje os ciclistas são considerados estúpido e irresponsáveis se não fazem algo que ninguém que andava de bicicleta fez nos anos 80.

Hoje alguns motoristas sentem que é sua obrigação fazer uma careta e gritar “Use um capacete!” ao ciclistas sem capacete.E isso traz um outro ponto: por quê os motoristas que são tão insistentes em dizer aos ciclistas para usarem capacetes não estão usando capacetes?. Capacetes poderia salvar mais vidas dos motoristas que os ciclistas. Cerca de 38 mil motoristas morrem em estradas dos Estados Unidos a cada ano, em comparação a menos de 700 ciclistas. Se capacetes são bons para os ciclistas, eles devem ser melhor ainda para os motoristas e passageiros. Por que ninguém está batendo o tambor sobre isso? Afinal, capacetes salvam vidas, certo?”

Gil Sotero – Jornalista, designer e ciclo ativista em BH.

Trechos traduzidos de http://bicyclesafe.com/helmets.html

*Especialista em segurança de ciclistas.http://michaelbluejay.com/michael/