2

Bicicleta e Biscates

“Pra mim a bicicleta representa um monte de coisas bacanas!! Mobilidade fácil,rápida e limpa. Possibilidade de socialização, de distração imediata. Desculpa pra tomar uma breja a mais com os amigos..rs.rs..rs. Possibilidade de deixar um menino ou uma menina feliz
Possibilidade de ganhar um pouquinho de dindin tb”. Rogério Santos, 47, biscateiro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Rogério em sua dobrável por BH. Foto Gil Sotero

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Advertisements
0

Naturalização da Bicicleta 

Acho que chegamos num ponto que já vencemos um pouco esse paradigma da bicicleta ligada ao esporte e inclusive ao esporte urbano. Agora eu vejo é o retorno à naturalização da bicicleta. Não precisamos mudar radicalmente o registro do nosso corpo , a nossa roupa, pra acessar a bicicleta. Ela é uma peça natural em nosso dia-a-dia. Um objeto do quotidiano e não um momento diferente em nossas vidas. Guto Borges, musico. 

   
       

0

Do jeito que eu quero 

“Quem fala que BH não é para bicicleta nunca tentou. A cidade tem corredores cicláveis que com pouco investimento possibilitarão irrestrito acesso. Para não suar, vou devagar. Depois que comecei a pedalar vi que podia sair bem mais à vontade. Em setembro passado, por exemplo, quando fez muito calor, eu me desloquei para o trabalho de sunga, mochila e tênis e vesti roupa somente no estacionamento. Se não tiver cauda, qualquer roupa que vista (ou não) serve para pedalar, rs”. Samuel Lima Xisto, professor. 

  

 

0

Acreditar e pedalar 

“Eu era desses que acreditava que Belo Horizonte não era uma cidade para se andar de bicicleta. Eu olhava as pessoas e pensava: nossa muito animado esse povo. Depois eu viajei e observei como as pessoas utilizam a bicicleta lá fora resolvi comprar uma e sem nunca ter andado por BH. Há mais de um ano e meio  faço todos os dias meu trajeto com a minha dobrável. Deixei de usar carro e moto e hoje o dia que eu não pedalo o dia não é o mesmo”. Diego Ávila, funcionário público. 

   

 

0

Descendo a Bahia

Quem pedala sabe que as vezes pegar a contramão ajuda no deslocamento. Este rapaz aproveitou e desceu um trecho da Bahia enquanto o fluxo era tranquilo. Mesmo que pareça fácil eu sempre advirto os ciclistas para evitar o máximo possível pedalar no contrafluxo. Leia aqui os motivos.

2015/01/img_8277.jpg
Usar o meio-fio enquanto espera o tempo mais seguro para pedalar também é um macete dos mais experientes.

2015/01/img_8279.jpg

2015/01/img_8280.jpg