0

Mirante

Eduardo, 19 montou a própria bicicleta e gosta de dar rolê pela cidade quando está de folga do trabalho. A bike dele tem selim de banco de moto e placa mas é movida a juventude. “Para chegar aqui peguei uma carona no buzão. Na subida ajuda. Gosto de ver a cidade daqui e depois descer a Afonso Pena”.

Advertisements
0

Ciclistas mineiros criam acessório que aumenta segurança de quem pedala 

Pedalar pelos centros urbanos brasileiros é um desafio dada falta de infraestrutura viária para ciclistas e descaso das autoridades em relação aos mais frágeis no trânsito. Faltam ciclovias e políticas públicas para quem usa a magrela se deslocar de forma segura. Além disso motoristas insistem em desrespeitar e ameaçar ciclistas.

Pensando nisso a Rocket BP, startup mineira, criou um dispositivo simples e extremamente útil a quem usa a bicicleta entre carros, motos, ônibus e caminhões e costuma sinalizar as direções que toma: uma mochila com seta.

A tecnologia pode parecer simples mas para quem utiliza os braços para sinalizar a direção que pretende tomar é muito útil. O criadores da mochila rocket explicam que se inspiraram em produtos do exterior. “A idéia de comercializar a mochila surgiu quando um sócio da empresa ao morar na Alemanha e percebeu como a bicicleta é integrada às cidades alemãs como transporte sustentável”, declarou Thales Batista sócio da Rocket Bike.

A alemanha é um dos países europeus que mais investe na mobilidade ativa, além da infraestrutura e legislação para favorecer quem usa a bicicleta, também regulamenta o uso de equipamentos. Embora o Brasil esteja a anos luz da Alemanha na política de mobilidade a bicicleta é o veículo de muitos brasileiros. De fato mesmo em Belo Horizonte os maiores problemas para quem pedala não é, principalmente, o relevo e sim os motoristas. “Pensamos que uma sinalização clara, objetiva e visível aos motoristas tira a “desculpa” de não ter visto o ciclista. Portanto uma mochila que sinaliza a intenção no trânsito além de servir para hidratação e bagagem foi a solução proposta”, completa Thales Batista.

Usando a mochila no trânsito. Foto W. Odilon

Como bom ciclista urbano que precisa usar a magrela várias vezes por semana, eu pego avenidas com grande fluxo de carros como Afonso Pena e Contorno e logo na primeira semana de uso observei que os números de finas que tomava diminuíram bastante. Alguns motoristas até elogiaram o uso da seta. Uma das situações corriqueiras que me acontecia era o motorista acelerar, tirar fina para entrar logo adiante à direita. Sempre fiquei tenso com a sinalização pois há muitos buracos nas pistas e em pneus finos ou menores pode ser um grande problema tirar as mãos do guidão para sinalização com os braços.

Fabricadas com tecido Dacron (o mesmo utilizado em velas de barcos) as mochilas da Rocket variam de tamanho e preço e estão disponíveis a partir de R$ 299,00. O controle wireless para as setas facilitam o seu uso. A fonte da bateria que alimenta os LEDs são recarregáveis o processo de produção envolve o Brasil, Coreia e China, têm garantia de fabricação 06 meses para a mochila e de 01 ano para o LED.

A mochila e pode ser comprada no site https://rocketbp.com.br/

0

Pedalar para não sentir dor

Encontrei Dona Gelmira, 67, no supermercado no bairro Calafate. Ela me disse que usa a magrela na região. “Eu pedalo há mais de 20 anos. Aqui uso a bicicleta para resolver tudo no bairro. Até para minha saúde! Se não usar a bicicleta até sinto dores nas pernas. Ela é meu melhor remédio”, declarou.

Gosto muito de ver idosos pedalando. Dona Gelmira exibe boa forma e pegou a bicicleta com muita rapidez e destreza. Uma cidade que preza o envelhecimento saudável da população certamente deve investir em infraestrutura para a mobilidade ativa.